TOO COOL FOR SCHOOL

25 COISAS QUE VOCÊS PROVAVELMENTE NÃO SABIAM SOBRE MIM

É uma verdade universalmente conhecida que a base dos blogs pessoais é o overshare. Não importa se você faz a linha mais reservada ou 100% dunhanesca, em algum momento você vai se perguntar se não está compartilhando mais do que é realmente necessário, só para constatar que sim, é claro que está, mas tudo bem também porque ninguém se importa. Não é como se alguém fosse ser preso ou qualquer coisa assim. Em três – acho – anos de blog, eu já compartilhei um bocado sobre a minha vida e, por mais que algumas partes continuem aqui apenas nas entrelinhas, elas estão ali de algum modo, o que me faz pensar que o blog é exatamente aquilo que eu quis que ele fosse desde o início: o registro mais honesto possível da minha vida. Se falhei miseravelmente com a fotografia, pelo menos com a escrita ainda dá pra registrar aquilo que nem sempre a memória sozinha dá conta.

O negócio é que, entre uma postagem e outra, muita coisa acaba se perdendo no meio do caminho e eu sempre fico com a impressão de que, embora fale um bocado sobre coisas infinitamente pessoais, nem sempre vocês sabem daquilo que é mais bobinho, mundano. Em outras palavras, é como se eu compartilhasse todas as viagens à Viena, mas nunca as festinhas de aniversário, risos. Pensando nisso – e aproveitando a falta de pautas, pois lógico – decidi compartilhar com vocês alguns fatos aleatórios sobre mim e que vocês provavelmente ainda não sabiam que existiam. Nada de muito interessante, mas espero que vocês gostem mesmo assim.

1. Eu nasci e sempre morei em Brasília, e até hoje só me mudei de casa duas vezes: uma entre os três ou quatro anos e outra aos vinte. Eu também só estudei em dois colégios ao longo da minha vida, o que é muito pouco perto da maioria das pessoas que conheço – e talvez essa estabilidade tão grande seja, em partes, o motivo de muitas questões que eu tenho hoje sobre a vida, o universo e tudo mais.

2. Minha família é dona de uma pequena criação de gado no interior e por volta dos meus 20 anos eu ganhei uma vaquinha pra chamar de minha, risos. Por algum motivo, eu nunca dei um nome pra ela (péssimo, eu sei), mas hoje não tenho nem coragem de chegar perto dela pois a bichinha cresceu e agora é uma das vacas mais bravas que já se teve notícia por aquelas bandas. Pois é.

3. Eu não sei assobiar e nunca aprendi a fazer estrelinha.

4. Quando eu era mais nova, um dos meus maiores sonhos era parar de crescer e ser baixinha como minhas amigas, tão mais lindas do que eu. Hoje eu tenho 1.73 de altura, conheci uma porção de meninas altas e maravilhosas, e não trocaria minha altura por nada nesse mundo (inclusive, não me importaria nem um pouco de crescer um ou dois centímetros mais).

5. Eu fui aprovada no meu primeiro vestibular aos 17 anos, no meio do último ano do colegial pra um curso “x” que eu só escolhi porque o professor disse que as chances de passar eram altas. Como minhas notas eram boas, fiz alguns trabalhos e pude pegar meu diploma antes dos meus colegas. De lá pra cá, eu já passei em outros dois vestibulares – um pra contabilidade e outro pra comunicação, que é o que eu estudo hoje.

6. Eu nunca viajei pro exterior. Sad but true.

7. Meus pais se separaram quando eu tinha menos de dois anos, mas sempre tiveram uma relação muito boa entre si e nunca precisaram brigar por nenhum motivo. A ausência do meu pai também nunca foi um problema pra mim. Minha mãe nunca deixou que nada faltasse na minha vida e, se por um lado, a presença do meu pai na minha vida sempre foi mais restrita (não por imposição de ninguém, só porque a vida aconteceu mesmo), por outro, eu sempre tive a figura do meu padrasto como referência já que ele e minha mãe estão juntos desde que eu tinha quatro anos.

8. Minha casa em Hogwarts sempre foi a Corvinal, até que no último teste do Pottermore eu fui jogada na Sonserina. Ainda é uma realidade que preciso aprender a lidar, embora tenha começado a gostar da casa com o tempo (só não o suficiente para me sentir parte dela, risos). Em Ilvermorny eu sou Thunderbird. Já meu patrono é um blackbird. Minha varinha vocês vão ter que perdoar, mas eu realmente não lembro qual é.

9. Nunca levei uma multa de trânsito, mas já bati o carro algumas vezes. A mais grave foi um dia, chegando na faculdade, quando eu sem querer não vi uma moto e acabei entrando na frente dela. Ninguém se machucou, mas tanto a moto quanto meu carro ficaram bem destruídos.

10. Eu tenho uma pasta no meu computador e outra no Pinterest só pra guardar foto de comida. Bless my little heart.

11. Quando eu tinha 14 anos, inventei de pintar o cabelo de loiro. Foi, muito provavelmente, a coisa mais idiota que eu já fiz com meu cabelo e na semana seguinte eu já estava morena de novo. Ainda pretendo ficar loira de novo em algum momento, mas de preferência que eu faça isso direito na próxima, risos.

12. O primeiro filme que eu assisti no cinema foi A Espada Mágica, sozinha com minha mãe porque meu primo (que tem a mesma idade que eu) ficou com medo quando descobriu que o cinema era escuro, risos. O segundo filme foi Mulan, com minha mãe e meu padrasto, numa sala no subsolo (!) do cinema que eu frequento até hoje – e que, a propósito, é onde tem a melhor pipoca de Brasília. Não é preciso dizer, mas os dois filmes são favoritos até hoje.

13. Minha mãe tem o costume de me chamar de Xú – um apelido que pegou na minha família e também entre algumas amigas mais antigas e é assim, aliás, que meu JG me chama. Na internet, as pessoas me chama de Sharon, um apelido dado gentilmente pela minha versão loira de olhos azuis. Fora isso, as pessoas normalmente me chama de Ana ou Aninha – exceto minha tia, avó de JG, que por algum motivo me chama sempre de Luciana, risos eternos.

14. Meu signo é peixes, meu ascendente é gêmeos (e não touro, como eu disse uma vez!), minha lua é em aquário e meu vênus é em áries. Por favor, não desistam de mim.

15. Se eu não estudasse cinema, provavelmente teria me tornado média – que é o que todo mundo jurava que eu ia fazer quando crescesse – ou piloto de avião.

16. Falando em ser piloto de avião, voar é uma das coisas que eu mais gosto na vida. Enquanto entrar no avião é um tormento pra muita gente, pra mim é uma experiência mágica que eu sinto por não poder experimentar com frequência. Tanto é que, quando era mais nova, eu costumava me empolgar muito mais com a viagem em si do que com o destino. Hoje já consigo me divertir com as duas coisas, é claro, mas estaria mentindo se não dissesse só a perspectiva de entrar num avião já me faz abrir um sorriso enorme.

17. Eu usei aparelho fixo por dois anos – dos 15 aos 17. Infelizmente, alguns dos meus dentes saíram do lugar e por mais que eles não tenham ficado tão pavorosos quanto eram no passado, em algum momento eu ainda quero poder consertá-los, mesmo que pra isso eu precise abraçar mais alguns anos de dor e sofrimento. O que nóis num faz por um sorriso bonito.

18. Embora não colecione nada rigorosamente, eu sempre gosto de guardar os ingressos dos shows que eu vou. Faço isso desde 2009 ou até antes, e desde então não parei mais. Infelizmente, não fui em tantos shows quanto gostaria e alguns ingressos se perderam pelo caminho, mas sempre tento ter alguma recordação além das fotos e das lembranças, nem que seja um ingresso amassado ou uma pulseirinha fuleira.

19. Scorpions é uma das minhas bandas favoritas – se não for a favorita – e no show deles aqui em Brasília, em 2009, eu apareci no telão. Foi um momento mágico porque eles estavam tocando uma das minhas músicas favoritas (The Best Is Yet To Come, caso você esteja se perguntando) e eu estava muito, muito, muito feliz, vendo tudo do alto do ombro do Gui, batendo palmas e cantando com vontade que o melhor estava por vir, até que comecei a aparecer no telão – não uma ou duas vezes, mas várias vezes – e foi tão incrível quando vocês podem imaginar.

20. Quando eu era pequena, tive uma amiga imaginária chamada Bigaibe. Não me perguntem de onde eu tirei esse nome.

21. A quote do meu perfil do twitter é de uma música da Sia. Já a do tweet fixado é uma quote de Penny Dreadful, também conhecida como a melhor série de todos os tempos.

22. Eu adoro nomes pouco convencionais e que não são necessariamente nomes próprios, mas que podem ser utilizados dessa forma, tipo Serena ou Flor. Eu também gosto muito de Hannah, Emma, Violet e Lorelai. Infelizmente, tenho um namorado bem fresco, então é possível que minha filha termine se chamando Olivia ou Helena mesmo – que são nomes lindos, é claro, mas absolutamente comuns. Pra meninos, eu gosto bastante de Rafael.

23. Meu primeiro namorado era dois anos mais velho e eu terminei com ele no dia dos namorados. Péssimo, eu sei.

24. Eu tenho muita dificuldade em dar nome às coisas que sinto, mas incrivelmente consigo descrever muito bem meus sentimentos. Descobri isso na terapia e, para minha psicóloga, isso tem muito a ver com o fato de eu ser uma pessoa que escreve e que desde sempre aprendeu a usar as palavras para descrever as coisas, mas não necessariamente para nomeá-las, o que pra mim fez muito sentido, especialmente porque, quando as pessoas falam sobre a minha escrita, elas sempre dizem que ela é bastante sentimental. Por outro lado, isso também tem muito a ver com a minha relutância em admitir certos sentimentos que estão ali, mas que eu nem sempre gostaria que existissem e aí prefiro ignorar ou então tratar como algo maior do que eles realmente são. Mas é aquela história: o medo de um nome só faz aumentar o medo da própria coisa. Juro que estou tentando melhorar.

25. O meu primeiro beijo com Guilherme aconteceu debaixo do prédio que eu morava na época, no dia 21 (!) novembro de 2008. Eu estava bêbada, ele também, e enquanto nossos amigos igualmente bêbados faziam folia por ali (pensem em pintos sendo balançados para fora das calças e coisas desse tipo), a gente se amava depois de um maravilhoso ano vivendo feito gato e rato. Encerramos a noite comigo vomitando no canteiro do prédio e o resto são quase oito anos de namoro. Definitivamente um ótimo jeito de conquistar alguém (só que não, mas pelo menos deu certo, risos eternos). Romantismo, a gente vê por aqui.

Previous Post Next Post

4 Comments

  • Reply Manu 11 de dezembro de 2016 at 5:10 PM

    É possível que eu roube a ideia desse post. Posso? Posso? esses dias mesmo eu tava pensando nisso, como posto tanta coisa na internet, mas os detalhezinhos da minha rotina passam desapercebidos por vocês, pessoas da internet – sendo assim, adorei teu post e MUITO BOM SABER QUE A GENTE TEM MAIS COISAS EM COMUM HEHEHEHEH. Fiz questão de comentar algumas coisas individualmente porque sim:

    1. Mesma coisa aqui!! Mudei de escola duas vezes, mas em uma delas estudei durante dez anos, ousseje: a arte do desapego é algo que eu definitivamente nao aprendi
    2. AMIGA EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ TEM UMA VACA!!!! Pelamordedeus, adoro vacas, não acredito que você nem deu um nome pra elaaaaaa
    3. Nem eu, ME ABRAÇAAAAAAAAAA – sou frustrada até hoje por não saber assoviar direito :~~~
    8. Eu também sou Thunderbird e Corvinal, mas exatamente pra não passar por essa crise que você tá passando eu optei por não refazer o teste, HEHEHEHE. Acho que sou meio Ravenpuff – o Digníssimo foi pra Sonserina segundo o Pottermore, hehehe
    9. Miga, adoro o fato de você gostar de dirigir e ser uma motorista jóia, quando formos dar uns role você vai ser a pilota (porque eu sou o exato oposto)
    10. Eu tenho uma pasta no meu computador cheia de fotos do Orlando Bloom que eu salvei quanto tinha 14 anos (e outras pra outros caras que eram crushes da época, hauhauahuahua)
    14. VENUS EM ÁRIES É NÓIS (e sigo dizendo que nao acredito em horóscopo)
    17. Mesma coisa aqui! O sofrimento é tanto, mas tão bonito os dentes retinhossss
    18. Miga, QUE MOMENTOOO! Me indica músicas dos Scorpions? Eu só tenho um cd deles aqui (o Acoustica) e uma meia dúzia de hits aleatórios, mas sempre quis conhecer mais, só falta um incentivo
    24. Boto fé nesse negócio de nós, gente que escreve, sermos boas em descrever os sentimentos porque aqui sempre foi assim também. Inclusive, eu acho que desenvolvi a minha capacidade de nomear os sentimentos depois de alguns anos de terapia, hahahahahaha
    25. PFVRRRRRRR conta esse conto de amor entre você e Guilherme (nem conheço ele mas vocês dois são um dos meus ships da vida real HAUHAUHAUA)
    :** <333

  • Reply BA MORETTI 11 de dezembro de 2016 at 5:14 PM

    amo listinhas super pessoais ♥ e essa me fez lembrar das três vacas que eu tive (pois é) no sítio do meu pai. só que eu dei nome pra elas, mais ou menos. a primeira eu chamei de mimosa (super criativa eu sei), a segunda eu chamei de manhosa e ela teve uma vaquinha bebê que na dúvida de nome para vacas eu acabei chamando de mimosa de novo HAHAHA melhor nomeadora de vacas eu sei. e hoje eu morro de medo delas também porque já fui atacada por uma outra vaca anos depois). PAVORRRRRRRRRRRRRR

  • Reply Kari 11 de dezembro de 2016 at 6:48 PM

    Overshare: meu maior pesadelo. Mas daí a gente pensa: se não para overshare, para quê um blog pessoal então, não é mesmo? Amei a conclusão; ninguém liga, rs.
    Ao contrário de vc eu mudei MUITAS VZS de colégio. E também acho que isso influenciou bastante em como eu enxergo mudanças hoje em dia.
    Também não me importaria de crescer uns 2 cm a mais (mas ao contrário de vc, eu tenho 1.53m :/).
    Super me considero Corvinal, mas o Pottermore também me jogou na Sonserina. E eu escondo essa informação até para mim mesma.
    Eu era igualzinha! Amava mais andar de avião que chegar no destino em si. Achava igualmente mágico <3. Depois de velha, acabei desenvolvendo medinho de turbulência (¯\_(ツ)_/¯) e peguei birra dos assentos cada vez mais apertados. Acho que avião hoje em dia evoca uma certa claustrofobia em mim :(
    Pintos sendo balançados para fora das calças por aí?? Mas oi?? :O hahaha.
    Beijos!!

  • Reply Amanda 11 de dezembro de 2016 at 10:09 PM

    Oi, Ana! ;)
    Quantas coisas bacanas! No meu caso, eu nasci e sempre morei aqui no RS. E só estudei em um colégio, hehehe.
    Antes eu sabia fazer estrelinha, hoje em dia não sei se ainda consigo, não faço faz muito tempo mesmo. Os meus pais também são separados, mas graças a Deus eles tem uma boa relação hoje em dia. Ah, meu signo é escorpião, com ascendente em aquário e lua em virgem AHAHAHHA não desistam de mim!!
    Hannah, Emma… nomes lindos <3

    Beijos, quebrarosilencio.blogspot.com ❥

  • Leave a Reply