NOVELA MEXICANA

A TEMPORADA DO ERRO INTERNO

errointernoOntem foi oficialmente aberta a temporada de matrículas em matérias da UnB (ou a temporada do erro interno, como gentilmente resolvi batizar), um verdadeiro acontecimento semestral que atormenta toda espécie de aluno. É chato, é maçante, e quando finalmente a grade está pronta, redondinha, podem abrir o champagne amigas, porque  o caminho até lá foi, certamente, sofrível.

Todo ano a história se repete, sendo mais fácil em alguns e uma missão quase impossível em outros, coisa com o qual eu já deveria estar acostumada, mas não estou. Tal qual uma caloura desesperada para ser a primeira a aceitar as matérias ofertadas, já fico alvoroçada querendo resolver minha situação acadêmica o mais rápido possível. E não conseguir esse feito me tira do sério.

A situação chegou no nível máximo esse semestre, quando vi todas as minhas táticas falharem espetacularmente. Não adiantou acordar cedo, muito menos deixar para o dia seguinte. Era clicar em “matrícula” que a tela me mostrava (depois de alguns segundos de espera, claro) a mensagem que eu não queria ver. Erro interno. Erro interno. A cada mensagem, via minha grade friamente planejada indo por água abaixo. As vagas das matérias vão se esgotando aos poucos, algumas turmas já estão lotadas, e enquanto fico a ver navios, minha vontade é de chorar já imaginando o tipo de matéria que vai sobrar pra mim.

Não faço ideia de quem é o boçal que cuida desse sistema deveras falho e continua insistindo no mesmo erro todo santo semestre, independente das reclamações que parecem não ter fim. Porque é óbvio que esse não é um problema meu, do meu computador, da minha internet duvidosa, ou da galera do meu curso. Antes fosse, mas o buraco é bem mais embaixo. É um problema de todo mundo, mas que nenhum responsável dá a mínima.

Queria dizer que não sou obrigada a lidar com isso tudo, que não preciso ficar apertando f5 de dez em dez segundos, mas seria mentira. Preciso fazer tudo isso, do contrário, ficarei a mercê do sistema e correrei o risco de caminhar num ritmo lento, de forma que só me formarei em dez anos e não nos quatro recomendados. É triste, é estressante e até meio humilhante, mas é a realidade. É claro que sei que vocês nada têm a ver com isso, e que felizmente seguirão suas vidas numa boa depois desse texto, mas eu não tinha mais com quem desabafar. Por mim, tacaria uma bomba em tudo, dando ao sistema uma razão concreta pelo qual reclamar e exibir sua mensagem favorita como se não houvesse amanhã, mas como isso não é possível né, fica aqui o meu post deveras revoltado como uma forma de protesto.

tumblr_m6ogphFGCo1qcdm34

Previous Post Next Post

3 Comments

  • Reply Ana Luísa 31 de julho de 2014 at 8:30 PM

    Internet: Aquela maravilha que veio para ajudar e que, de vez em quando, só atrapalha. Numa hora dessas não dá vontade ficar numa fila com papelada em mãos para se cadastrar para algo? HAHAHA
    Beijos!

  • Reply Fernanda Machado 1 de agosto de 2014 at 2:29 AM

    E quando você é expulso da matéria porque a turma lotou? Chora ;___;

  • Reply Jéssyka 1 de agosto de 2014 at 1:20 PM

    Que legal isso de se matricular na matéria que quer! Não sabia que rolava isso aqui no Brasil! Bom, pelo menos você se matriculou e em questão a uma matéria em que não queria… vai que era pra ser! :P

    Um beijo
    http://www.namesmafrequencia.com.br

  • Leave a Reply