VIDA DE FANGIRL

BABY YOU LIGHT UP MY WORLD LIKE NOBODY ELSE

Ou: Meu melhor de One Direction.

Não é nenhuma novidade que One Direction é a minha boyband favorita. Embora tenha tido uma fase bastante de amor verdadeiro e eterno pelos Backstreet Boys (#TeamKevin), foram os meninos do One Direction que me ensinaram a ser fã sem ressalvas e mostraram do jeito mais divertido possível que ser ridícula é bom demais. Hoje, não tenho a menor vergonha de admitir que Made In The A.M é um dos meus álbuns favoritos no mundo inteiro, que o Harry Styles é a pessoa mais adorável que eu já se teve notícia e que só entra no meu carro quem souber cantar pelo menos uma música da melhor boyband do mundo – e ai de quem não souber qual é. Critérios, a gente vê por aqui.

Pensando nisso – e depois de uma conversa particularmente produtiva com a Michas, minha mais nova parceira de ciladas -, decidi seguir seu maravilhoso exemplo e compartilhar minhas vinte músicas favoritas da boyband mais deliciosamente creiça de todos os tempos. Abracem os sentimentos, pois eles continuam sendo os únicos fatos.

1) What Makes You Beautiful: Impossível não começar com a música responsável por me fazer pagar a língua e descobrir que por trás dos jovens creiços de cabelo duvidoso, existiam pessoas adoráveis com corações que batiam com força, e que era muito mais divertido dançar com eles do que sustentar uma pose too cool for school o tempo inteiro. Esqueçam a problematização por hoje e apreciem toda a creicisse que só um clipe de jovens adolescentes absolutamente adoráveis pode fornecer, risos.

2) One Thing: One Thing é exatamente o tipo de música que me conquista de cara e eu não preciso nem fingir que não. É a letra gracinha, a melodia que poderia servir de trilha sonora pra um filme gracinha qualquer, e o que dizer desses mocinhos adoráveis, não é mesmo? I’ve tried playing it cool / But when I’m looking at you / I can’t ever be brave / ‘Cause you make my heart race. Tão lindos. Tão novinhos meus bebês. Os sentimentos, definitivamente são os únicos fatos.

3) Live While You’re Young: Acho que, de todas as músicas do One Direction, Live While You’re Young continua sendo a minha favorita até hoje, aquela que eu não consigo ficar parada quando ouço tocar e que me remete a um momento muito bom da minha vida, cheio de festinhas na casa de amigos, banhos de piscina e programas de índio marcados em cima da hora, e que me faz sentir muito viva e incrivelmente jovem – mesmo com minha alma de uma idosa de 84 anos, risos. Minha realização será o dia que puder dançá-la com minhas amigas em uma pool party bem maravilhosa e lembrar porque ser jovem é, afinal de contas, maravilhoso demais.

4) Little Things: Unpopular opinion: é uma verdade universalmente desconhecida que eu não costumo ser muito fã das baladas do One Direction. Acho todas meio bregas e embora as letras costumem ser uma gracinha, nem sempre são o suficiente pra me convencer. Little Things é uma das poucas que fogem à regra, mais por insistência do que qualquer outra coisa. A letra é adoravelmente brega, mas ao mesmo tempo um amor, e mais legal do ouvi-la em looping, só ter um desses meninos cantando diretamente pra você, risos. I’m in love with you – 01 verdade da qual é impossível fugir.

5) Kiss You: SO TELL ME GIRL IF EVERY TIME WE TOUCH YOU GET THIS KIND OF RUSH, BABY, SAY YEAH, YEAH, YEAH, YEAH, YEAH. IF YOU DON’T WANNA TAKE IT SLOW AND YOU JUST WANNA TAKE ME HOME BABY, SAY YEAH YEAH YEAH YEAH, YEAH AND LET ME KISS YOU.

6) Best Song Ever: Eu disse que Live While You’re Young era minha favorita, mas eu estava mentindo. Quer dizer, ela é também uma das minhas favoritas, mas perde várias posições com Best Song Ever. Por mais que eu já gostasse desses meninos antes, alguma coisa aconteceu ali pelo Midnight Memories, porque eles de repente não eram só adolescentes bonitinhos e absolutamente adoráveis, mas uns caras assim que você sente vontade de agarrar pelo pescoço, colocar uma aliança no dedo e apresentar pra vó. Definitivamente, acontecem coisas. Best Song Ever entra no hall de músicas que me fazem querer dançar no ato e que não me deixa parada sempre que toda. Eu faço dance parties no meu quarto ou no carro com ela, e quando me falta energia ou ânimo pra fazer qualquer coisa, ela é tiro certo em me animar. Ser jovem nunca foi tão maravilhoso, etc etc.

7) Story Of My Life: Sempre que ouço essa música, lembro de tantas noites que voltava da faculdade com ela servindo de trilha sonora e pensava na vida, no universo e tudo mais. É uma música que, embora tenha uma letra meio “x” – sei lá, não conversa muito diretamente comigo? – é ainda muito bonita e já me acompanhou em várias ~reflexões~. É o clipe, no entanto, a minha parte favorita. Adoro as fotos penduradas, o passado dos meninos aparecendo ali enquanto eles cantam sobre a história da minha vida (de quem quer que seja, porque da minha é que não é, risos) e revivem momentos do passado. Foi mais ou menos nessa época que eu parei de encará-los como uma boyband divertida, porém que eu não tinha muita coragem de admitir que gostava, pra uma que eu admitia que gostava e ainda em voz alta, sem nenhum medo de ser feliz.

8) Diana: Não confirmo nem nego que penso em colocar o nome da minha filha de Diana só por causa dessa música (e da princesa, of course), risos eternos.

9) Midnight Memories: Eu não gosto dessa música tanto quanto a maioria das pessoas parecem gostar, mas gosto o suficiente pra colocar no meu seleto grupo de favoritas pois TÃO MARAVILHOSA! Em comparação com as outras citadas até agora, acho que ela tem uma pegada radicalmente diferente e talvez por isso tenha demorado um bocado até eu finalmente entender o que ela tinha assim de tão incrível. O clipe, por outro lado, não demorou nem um pouquinho para amar: é maravilhoso e não tem nem pra onde fugir.

10) You & I: Mais uma que me lembra demais quando eu ainda estudava à noite e voltava tarde pra casa, sozinha, de carro. Ouvir essa música é quase como voltar para aqueles dias de pistas vazias e sinais piscando sem funcionar enquanto eu pensava na vida, no universo e tudo mais. Aliás, mais uma baladinha que foge da regra e que eu consegui amar apesar dos pesares.

11) Steal My Girl: Apenas visualizem essa cena: eu e Guilherme no carro, cantando essa música a plenos pulmões, como se nossa vida verdadeiramente dependesse disso. Risos eternos. Muito mais do que uma música favorita, Steal My Girl é uma música que me traz memórias maravilhosas de todas as noites que saímos de carro – fosse pra comprar comida, fosse pra uma festa – e cantávamos junto com nossos garotos favoritos. Arranjem um namorado que cante One Direction com vocês, fica a dica.

12) Ready to Run: Não é uma música que costumo ouvir com frequência, mas ainda assim é uma das minhas favoritas. Ela tem uma melodia que também remete demais aos filminhos gracinha que eu tanto amo e sempre que eu a ouço, imediatamente me imagino vivendo em um filme de tons pasteis, dirigido pela Sofia Coppola. É uma imagem realmente maravilhosa e se a arte imita tanto a vida, então nada mais justo que ter One Direction como a trilha sonora de vários ~momentos~ do meu filminho particular.

13) Fireproof: Foi só recentemente que eu descobri essa música e foi com um sorriso no rosto que eu descobri que, mesmo já tendo revirado o trabalho desses garotos de cabeça pra baixo, ainda era possível me apaixonar por novas faixas. De todas, Fireproof talvez seja a música que mais me faz vontade de levantar da cadeira, não pra pular ou qualquer coisa assim, mas pra fechar meus olhos e balançar meus braços pra lá e pra cá enquanto imagino eu e minhas amigas em um show deles, nos amando demais enquanto cantamos que devemos ser à prova de fogo – e nós somos mesmo.

14) Perfect: MÚSICA DO HARRY STYLES PARA TAYLOR SWIFT. I REST MY FUCKING CASE.

15) Infinity: Acontecem coisas é a única coisa (?) que explica o fato de eu amar tanto essa música, mesmo depois de ter achado uma choradeira sem limites nas primeiras vezes que ouvi. Ela é, também, uma música que me lembra a Thay, uma pessoa que eu amo profundamente e com quem tenho muitas coisas em comum, ao ponto de enxergá-la como uma irmã de alma mesmo. Eu jamais vou esquecer o dia que, enquanto todo mundo gongava essa música e eu curtia uma fossa particular, fui gritar a letra no twitter e a Thay começou a gritar de volta. Definitivamente um momento maravilhoso demais pra eu esquecer.

16) If I Could Fly: Música brega até dizer chega que me faz chorar toda vez que eu escuto. Bless my little heart.

17) What A Feeling: A primeira vez que eu ouvi essa música foi no dia 13 de novembro, quando o álbum saiu (foi nesse dia mesmo? não lembro), e eu achei a coisa mais horrorosa do mundo. Quer dizer, o que mais a gente pode achar de uma música tão genérica, não é mesmo? Pois é. Nada como pagar a língua, porque bastou que eu fosse presenteada com o álbum mais recente dos meninos pra morder a minha própria língua e começar a amar muito profundamente. A letra não é exatamente a coisa mais profunda do mundo, mas é o suficiente pra me fazer querer cantar com vontade enquanto balanço meus bracinhos pra lá e pra cá.

18) I Want To Write You A Song: De todo o Made In The A.M – também conhecido como meu álbum favorito do One Direction – essa música é, de longe, a minha favorita. Ela se parece demais com uma outra música que eu também amo muito profundamente, no nível de até o título ser praticamente o mesmo, mas não consigo ficar chateada porque amor, esse sim, nunca é demais. É uma música que me acalma muito e que me lembra que, embora a vida seja um tanto complicada, pelo menos eu tenho pessoas do meu lado para construírem um barquinho pra eu saber que todas as vezes que eu pensar que meu coraçãozinho vai afundar, eu ter certeza que ele não vai.

19) History: Acho linda a forma como, no álbum que antecede o hiato da banda, eles resolveram incluir tantas músicas que falam sobre amizade e, principalmente, sobre a história do One Direction. History, como o próprio nome já entrega, é uma música que fala da trajetória deles juntos e que celebra a amizade de um jeito doce e totalmente adorável, o tipo de coisa que só uma banda de rapazes tão doces e absolutamente adoráveis seria capaz de fazer. Eu ouço essa música e penso nas minhas amigas, na história incrível que estamos escrevendo juntas e como elas foram – e continuam sendo – uma parte tão importante da minha vida, e é incrível como conseguimos construir relações tão fundamentais. É como diz a máxima: amigos são mesmo a família que a gente escolhe.

20) A.M: Foi a primeira música de Made In The A.M que eu amei verdadeiramente. Apesar de fazer 100% o meu estilo e isso, por si só, já ser suficiente para que ela esteja no meu seleto grupo de favoritas, ela é mais uma música que fala sobre a amizade, sobre a história dos rapazes, o universo, a vida e tudo que existe aí no meio. Entretanto, ao contrário de History, ela realmente me lembra as minhas amizades de um jeito mais íntimo. Enquanto a ouço, sou totalmente capaz de viver lembranças muito especiais que só tenho porque o caminho de pessoas incríveis cruzou com o meu, algo que eu serei grata por todos os dias da minha vida. É como se eu quase pudesse ter todas as sensações de novo, como se eu vivesse tudo aquilo mais uma vez, dessa vez de fora, com a certeza de que, mesmo em um mundo tão problemático, ainda existem coisas que fazem a vida valer muito à pena – ainda bem.

 ♥

P.S: Esqueci de colocar Temporary Fix. Me odiarei eternamente.

Previous Post Next Post

1 Comment

  • Reply Thay 8 de dezembro de 2016 at 6:56 PM

    AMIGA DO CÉU! <3
    Já estava felizinha lendo o post pois 1) é seu e 2) One Direction, quando vejo essa coisa maravilhosa sobre Infinity! E sério que as pessoas gongaram a música? Eu não fazia ideia, HAHAHA! Infinity é minha música de berrar com toda a força do meu ser, amo que essa agora é a nossa música (HAHAHA, bichas) e vamos berrar muito ao vivo um dia. Minha irmã de alma maravilhosa, aff. <3

    (posso ou não ter chorado) (chorei, confesso, tô sensível)

    P.S.: AMO Temporary Fix, HAHAHA, como cê esqueceu dela? RISOS.

  • Leave a Reply