MEMES

MEME: O PODEROSO CHEFÃO

Na semana passada, a Thay e a Tati, essas duas maravilhosas, me indicaram para responder um meme chamado O Poderoso Chefão (dã), que basicamente consiste em relacionar livros que já lemos à citações icônicas do filme de mesmo nome. Pensei em deixar pra responder mais pra frente, de preferência num momento de pouco tempo e zero ideias, mas não consegui sossegar porque afinal de contas essa sou eu e odeio ficar guardando meme pra depois, além de achar terrível deixar as pessoas que me indicaram esperando enquanto juram de pé junto que foram casualmente ignoradas. Eu não ignoro meme, gente, jamais. Assim sendo, decidi responder de uma vez – e seja o que Deus quiser quando chegar aquele dia de pouco tempo e inspiração, risos.

tumblr_o32onqplvV1uzaoxdo1_500

1. “Se um homem honesto como você tivesse inimigos, então eles seriam meus inimigos e temeriam você.”Qual livro te deu mais medo? O Oceano no Fim do Caminho, do Neil Gaiman. Porque aparentemente eu sou idiota desse tanto mesmo. Na real, eu não li muitos livros de terror nessa vida (é possível que não tenha lido nenhum), de modo que medo é um troço que não costumo sentir durante a leitura. Às vezes, no entanto, acontece dele aparecer em livros de outros gêneros, especialmente fantasia, e aí eu acabo sentindo um pouco de medo sim. É o caso, por exemplo, de Harry Potter e As Relíquias da Morte, que não me assustou, mas deixou bastante apreensiva em alguns momentos, e mais recentemente, com O Oceano no Fim do Caminho. Nele, conhecemos a história de um homem de meia-idade que, quando criança, conhece uma menina um pouco mais velha chamada Lottie, com quem viveu aventuras inimagináveis, mas o livro também fala sobre como essas experiências influenciam sua vida no futuro, mostrando que nossa infância reflete, de alguma forma, nas pessoas que nos adultos que eventualmente nos tornamos. É um livro maravilhoso demais, que se tornou um dos meus favoritos e que eu sempre recomento para todo mundo. No entanto, ele também me deixou sem dormir em algumas noites e me fez ter alguns pesadelos com Ursula Monkton, a grande vilã. Não confirmo nem nego que até hoje, ouvir esse nome me causa arrepios, risos.

2. “Nunca odeie seus inimigos, isso atrapalha seu raciocínio” – Qual o livro mais confuso que você já leu? Germinal, do Émile Zola. Eu nem sei se ele esse é um livro verdadeiramente confuso ou se eu li numa época bem ridícula da minha vida mesmo (ensino médio, vestibular batendo na porta, vocês sabem do que estou falando), de modo que é bem possível que minha opinião sobre ele seja completamente distorcida. Sendo bem sincera, a única coisa que lembro hoje é o final, mas tenho muita vontade de ler novamente e descobrir o que essa história reserva de verdade, sem a pressão de um vestibular nas costas e, de preferência, sem a interferência do meu medo dos ~grandes clássicos da literatura~, hê.

3. “Quem lhe oferecer segurança será o traidor” – Qual livro te decepcionou? As Vantagens de Ser Invisível, do Stephen Chbosky, um livro que tinha tudo para se tornar favorito, mas que infelizmente não chegou lá. Na época que comecei a leitura, eu estava escrevendo o roteiro de um curta-metragem coming of age (?) e o livro foi uma indicação de uma amiga que achou que a história pudesse me ajudar de alguma forma. No entanto, embora eu tenha me sentido bem culpada no final por não ter sentido tudo que eu achava que deveria sentir e, principalmente, por ter julgado tanto o chororô sem fim do Charlie, a história acabou não sendo exatamente o que eu procurava para me ajudar com o roteiro e eu não fui capaz de me identificar com os personagens em momento algum. Marquei algumas citações, afinal o livro é recheado de várias bem maravilhosas, mas foi só isso mesmo.

4. “Nunca deixe que ninguém de fora da família saiba o que você está pensando” – Qual livro te fez pensar na vida? Estação Onze, da Emily St. John Mandel. Desde que li esse livro pela primeira vez, no final do ano passado, tenho a impressão de que estou sempre falando sobre ele – o que pode ser verdade ou não -, mas é que ele de fato se tornou meu livro favorito da vida inteira e muito disso se deve justamente ao fato de que, muito além de uma história sobre o fim do mundo, o livro também fala sobrevivência, família, relacionamentos, memórias, solidão, arte, fama, a efemeridade da vida e a beleza do mundo em que vivemos, questões muito presentes na vida de qualquer ser-humano, independente do cenário. É um livro realmente incrível, capaz de transformar palavras em sensações muito únicas e foi exatamente por isso que ele se tornou não apenas meu livro favorito do ano passado, mas da minha vida também.

5. “Um advogado com uma pasta na mão pode matar mais que mil homens armados” – Qual livro te surpreendeu? O Clube da Luta, do Chuck Palahniuk, de longe uma das minhas leituras favoritas do ano passado. O fato de não ter assistido ao filme antes talvez tenha sido decisivo para minha opinião final, mas não posso negar que muito também é mérito do autor, que construiu uma história complexa, com personagens ambíguos e uma narrativa que te impede de parar por um minuto sequer. Ao começar a leitura, tudo que eu esperava era uma história sobre gente muito problemática caindo na porrada, que é uma das coisas coisas que o livro de fato promete, mas é incrível como ele consegue ir tão além de sua proposta e entrega muito mais do que a gente espera. Ele não conta uma história limpinha, não é um livro exatamente divertido de ler, mas contrariando todas as minhas expectativas, ele foi justamente aquilo que eu precisava ouvir (ler?) para sair do buraco que eu tinha me enfiado no ano passado. Estranho, mas muito real.

6. “Mantenha seus amigos perto e seus inimigos mais perto ainda”Quem é seu melhor amigo literário? A Arte de Pedir, da Amanda Palmer. É o livro que sempre tenho por perto, seja dentro de uma gaveta do móvel onde fica meu computador – e onde passo a maior parte do meu dia -, seja em cima do próprio móvel, ao alcance dos olhos de todo mundo que entra no meu quarto. Muito além de uma história inspiradora, Amanda me ensinou lições importantíssimas sobre a vida e o amor, sobre se conectar com pessoas e se permitir ser vulnerável, tudo isso através de suas palavras, e essas são lições que eu quero carregar comigo por toda a vida.

7. “Se dedica à família?”Qual livro você mais se dedicou a ler? A Tormenta de Espadas, terceiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo, do George R. R. Martin. Antes que alguém venha me tacar pedras, explico: embora eu seja apaixonada pelas Crônicas de Gelo e Fogo (no nível de gastar um tempo considerável da minha vida refletindo sobre seus personagens e teorias cabeludas que não param de surgir por aí), ler A Tormenta de Espadas foi um verdadeiro tormento (perdão por ser tão ridícula, risos) e eu precisei me esforçar um bocado para chegar ao fim daquele calhamaço. Desde então, criei um certo trauma e tenho evitado ler livros com mais de 600 páginas, além de nunca mais ter lido nenhum livro do universo de Game of Thrones – algo que pretendo retomar em algum momento, quando criar coragem.

8. “Farei uma oferta irrecusável a ele”Indique 5 blogs para fazer essa tag. Raramente indico pessoas para responderem memes, especialmente quando é um que eu já fui indicada por gente que eu poderia indicar e que basicamente conhece as mesmas pessoas que eu, de modo que já estão todos indicados e muito felizes. Sendo assim, tentando brincar direito hoje vou passar a bola pra a Manu, do Beyond Cloud Nine; pra Michas, do Lunatic Pisces; pra Nicas, do Apto 401; pra Alê, do Desconexa Sensação; e pra Yuu, do Dreams & Dramas, que também foi indicada pelo Thay mas que eu sinceramente gostaria de reforçar a indicação, risos.

Previous Post Next Post

2 Comments

  • Reply Manu 21 de agosto de 2016 at 1:42 AM

    Amiga, já vi você falando bem de Estação Onze algumas vezes e ainda não tomei vergonha na cara pra por esse livro na lista de leitura – estou errando a mão nas leituras e ultimamente não achei nada de legal desde a nossa amada amiga Amanda Palmer <333 A Tormenta de Espadas foi o livro das Crônicas que li mais rápido, vc crê? Depois do Red Wedding, li meio que as outras páginas todas de uma vez (virando a madrugada, lógico hahahahaha). As Vantagens de Ser Invisivel eu achei TÃO chocho! Tem a frase maravilhosa "we accept the love we think we deserve" mas foi a única coisa que salvou minha leitura. Saquei qual era a do Charlie na metade da história e achei muito desnecessário muita coisa. OBRIGADA PELA INDICAÇÃO (salvando mais um dia de BEDA) hahahahaha <3 Segunda feira essa resposta provavemente sai!

  • Reply Thay 26 de agosto de 2016 at 9:29 PM

    Acho muito engraçado quando você diz que “O Oceano no Fim do Caminho” te dá medo, desculpa. Sei que tem suas partes sombrias, mas a história em si me deixa tão quentinha, tão acolhida. É uma fábula ao melhor estilo Neil Gaiman. Outro livro da sua lista que está na minha lista (pois óbvio) é o de Amanda Palmer, sempre maravilhosa. Às vezes fico pensando em como o universo é incrível por unir Amanda e Neil, somente duas das melhores pessoas da existência. AH, mundo. ♥

  • Leave a Reply