COM AMOR

QUERIDA ANA,

Como você está? Sei que hoje é o seu – nosso – aniversário, então achei que seria legal escrever pra você te dar os parabéns, e falar sobre a vida – a minha vida, a sua vida – o universo e tudo mais. Eu sei que você deve ter outros planos, mas por favor, sente um minuto, não seja uma adolescente mimada e preste um pouco de atenção.

Não lembro como foi o nosso aniversário de 13 anos (eu não lembro nem do meu aniversário do ano passado, então por favor, me dê uma ajudinha aqui), mas posso adiantar que esse vai ser um ano marcante na sua – nossa – vida, intenso, maluco, no bom e no mau sentido. 2006 foi um ano de muitas mudanças, mudanças que de alguma forma moldaram a pessoa que eu sou hoje e que você será um dia. Sei que falando assim parece assustador, e é mesmo – só não o tempo todo. Mas eu acredito em você, acredito que você pode fazer o melhor com isso, então segure firme e respire fundo, você vai precisar.

A essa altura você se acha muito dona do mundo e principalmente do seu nariz. Eu te diria para ir com calma, que você ainda não é completamente independente e precisa respeitar isso (e as pessoas que te disserem isso), mas acho que muito da sua coragem reside exatamente nessa confiança inabalável em si mesma e coragem é uma coisa que anda faltando por aqui. Eu tenho muito medo de muitas coisas. Crescer é tão difícil quanto todas as pessoas te disseram e é bem menos divertido do que você acredita agora, mas eu estaria mentindo se te dissesse que não gosto do lugar onde estamos. Você vai viver coisas incríveis nesses anos – únicas, especiais, preciosas. No entanto, preciso te pedir: não viva tanto no futuro. Eu sei quais são os seus sonhos agora, sei o quanto eles são importantes pra você e sei também que é essa vontade de fazer as coisas darem certo que te coloca em movimento, que te dá forças pra correr atrás, mas você também está vivendo coisas únicas, especiais, preciosas, e às vezes eu daria qualquer coisa para ser você de novo. Não me leve a mal, não é que nossa vida seja ruim, muito pelo contrário. Ela é muito boa, boa de verdade. Mas um dia você vai sentir falta da vida que leva agora, de todas as possibilidades, da cobrança que ainda não era tão grande, da chance de poder errar sem muitas consequências. Você ainda não sabe disso, mas uma de nossas músicas favoritas fala exatamente sobre essa pressa de viver, de fazer as coisas acontecerem, e como isso nem sempre é bom, então vá com calma. O presente também é importante e viver no futuro, às vezes, faz mais mal do que bem. Não deixe de acreditar em você, muito menos nos nossos sonhos (todos eles são válidos, não importa o que as pessoas digam), mas saiba aproveitar o que você está vivendo agora da melhor forma possível. São essas lembranças que vão te segurar quando, daqui alguns anos, as coisas ficarem difíceis demais.

A urgência de fazer sua vida dar certo continua igual mesmo 10 anos depois, mas algumas coisas são mais difíceis de fazer agora e você vai descobrir que o tempo é bem menos generoso com você do que já foi um dia. Alguns meses atrás, escrevi para a nossa versão de 32 anos e uma coisa que disse para ela foi que a gente não pode se deixar abalar pelos efeitos dele. Temos nosso próprio tempo, diz uma música que amamos demais, e é verdade, então respeite o seu próprio tempo e não pense nunca que é tarde demais. Eu realmente acredito nisso e espero que você também, mas se quiser me poupar um pouquinho o trabalho, eu diria para você começar a correr atrás agora. Como eu disse, você ainda não tem sua independência, mas você tem braços, pernas e um coração batendo com força pra correr atrás de algumas coisas. Comece já a tocar bateria e leve a sério as aulas de violão. Você nunca vai ter tanto tempo quanto tem agora, então faça algo com isso.

Aliás, a música vai ser sempre muito importante nas nossas vidas e é o que vai nos segurar nos momentos mais difíceis. Grite suas letras favoritas, dance sozinha no quarto, encha suas paredes com posteres e chore quando for necessário. Nenhuma das suas bandas vai dar certo (desculpa, preciso ser sincera aqui), mas valorize o que a música pode te ensinar. Você não entende a maioria das letras que canta agora, mas um dia elas vão dizer muito sobre o que você sente e sobre quem você é. Ah, e não empreste seu cd do Blink 182. Você nunca mais vai ter ele de volta e, acredite, faz uma falta enorme dirigir (a gente dirige pra cima e pra baixo, olha que loucura!) sem poder ouvir esses caras de vez em quando.

Não acredite que suas amizades são eternas. Infelizmente (ou felizmente, vai saber) as pessoas mudam, você também vai mudar demais, e de repente alguns relacionamentos deixam de fazer sentido na nossa vida. É triste quando isso acontece, mas quase sempre é necessário, então paciência. Eu poderia te dizer para escolher melhor as suas pessoas, mas a gente não tem como prever o futuro, e se aos 23 nós ainda erramos e colocamos nossa fé em gente que dali cinco minutos (ou cinco anos) vai nos dar um pé na bunda, então não tem mesmo muito o que fazer. Aprenda desde já que as pessoas são complexas, difíceis, e que se relacionar com elas é tão difícil e complexo quanto, mas nunca, jamais deixe de acreditar que pessoas boas vão cruzar o seu caminho, porque elas vão. Eu sei que às vezes parece que é o fim do mundo, sempre parece assim, mas até aqui nós superamos tudo muito bem, obrigada. Pode demorar até essas pessoas aparecerem, você vai errar um bocado no processo, mas se tem uma coisa que a vida me ensinou é que cedo ou tarde a gente acaba encontrando nossas pessoas no mundo. Às vezes é quem a gente menos imagina, às vezes não. Você precisa pagar pra ver.

Também não acredite que o fato de não ser eterno anula tudo de bom que você viveu ao lado do outro, porque não anula. Uma amiga me disse uma vez que as pessoas às vezes aparecem na nossa vida com uma missão específica, para ensinar ou nos mostrar uma ou duas coisas, e então vão embora. É triste, mas a vida acontece, e quase sempre você vai perceber que ela te leva por caminhos melhores, que dá pra tirar muito aprendizado desse sofrimento. Então não se culpe por coisas que estão fora do seu controle. Dói quando isso acontece, mas ninguém morre por um coração partido. Pense nisso e siga em frente. Falando assim, até parece que estou falando na nossa vida amorosa, mas saiba desde já que você vai ter muito mais questões com seus amigos do que com seus namorados. Aliás, você vai ter bastante sorte no amor, então não se preocupe, as coisas acontecem quando têm que acontecer. De novo: não tenha pressa. E se valorize sempre, em primeiro lugar. Eu sei que você já faz isso, mas em algum momento as coisas vão ficar um poucos estranhas e você vai aprender que dizer “não” nem sempre é o suficiente. Saiba se defender quando isso acontecer. Não faça nada que você não quiser.

Ainda sobre amizades, uma coisa importante: não dê atenção para as pessoas que não acreditarem que suas amizades de internet são verdadeiras. Eu sei o quanto elas são importantes pra você, muitas delas inclusive são mais importantes do que a amizade de muita gente que está ali imediatamente do seu lado, e acredite que ainda é assim até hoje. Mas não se desespere porque você não poder ter um contato “””real””” com essas pessoas. Eu sei que faz falta, muita falta, e que às vezes parece insuportável continuar tendo relações tão íntimas com gente que mora tão longe, mas lembra que um dia você vai ser independente e ter o seu próprio dinheiro e vai poder fazer o que quiser com ele. Não queria te dar nenhum spoiler, mas aos 22 você vai viajar sozinha pro Rio de Janeiro para conhecer as melhores pessoas do mundo, amigas maravilhosas que você conheceu graças à internet, e vai ser uma das coisas mais bonitas e importantes que você vai viver. Então sossega porque em algum momento as coisas começam a acontecer. De verdade, elas realmente acontecem.

Outra coisa muito importante: aprenda a ser mais gentil com você mesma. É sério, você não é perfeita, ninguém é, então não perca seu tempo tentando alcançar o inalcançável. Você é linda do jeitinho que é e quem te disser o contrário não sabe de nada. Sei que a adolescência não é um período fácil e você vai se sentir deslocada o tempo inteiro – porque não tem a barriga chapada das suas amigas, porque suas coxas são moles demais, porque você é mais alta que todos os meninos – mas acredite quando eu te digo que ninguém tem a vida toda no lugar, ninguém. O calo aperta pra todo mundo, mas ninguém vai assumir isso assim, em voz alta. Eventualmente você vai aprender a lidar com seus defeitos e principalmente a aceitá-los, não como uma coisa ruim, mas como uma parte importante da pessoa que você é. Por hora, tente não cobrar tanto de si mesma, não se compare com as suas amigas, se cerque de pessoas positivas, use o que tiver vontade e aprenda a aceitar elogios. Você pode se achar horrível na maior parte do tempo, mas isso não significa que o mundo inteiro tem que achar a mesma coisa. Aprenda também a aceitar as críticas que você recebe. Não é fácil, nem sempre é legal, mas muita gente está fazendo isso porque realmente quer o melhor pra você. Nem todo mundo quer te colocar pra baixo, nem todo mundo quer o seu mal. E por favor, não beba tanto refrigerante, sério mesmo, esse troço faz mal.

Agora, preciso levar um papo muito sério com você. Porque eu disse no início desta carta que seus – nossos – 13 anos seriam marcantes, intensos, especiais, mas não só no bom sentido, e é verdade. Mas você já sabe do que eu estou falando, não é?

Sua tia nunca vai melhorar. Você vai passar a sua adolescência inteira sonhando com o dia que isso vai acontecer até descobrir que não vai. E aí vai aceitar que tudo bem as coisas serem assim – não sem antes quebrar uns pratos, riscar as paredes, bater portas e gritar pela casa. Como em todos esses anos desde os seus 10 anos, ela vai ter momentos bons e momentos ruins também, bem ruins (algo realmente terrível vai acontecer ali por 2011 ou 2012, segure firme), mas todos sobrevivem no final das contas. A depressão não é uma doença fácil, é muito mais séria do que a gente imagina, então tente ser compreensiva e fazer o melhor que você puder para ajudar. Eu sei que isso é o que todo mundo diz e que você não aguenta mais essa discurso porque um dia eu fui você e eu sei como dói precisar tanto de alguém, de um colo, e não ter pra onde correr. Mas tenha paciência e reconheça uma vez na vida que os adultos estão certos dessa vez. E seja forte. Eu realmente acredito que você consegue – se não acreditasse, talvez eu nem estivesse aqui agora escrevendo pra você (por favor, segure as pontas).

Seja gentil com sua mãe e acredite que ela também está sofrendo com tudo isso. Pense antes de dizer coisas que você vai se arrepender pelo resto da vida. Você pode ser cruel quando quiser e pode magoar as pessoas de verdade com suas palavras, mas desde já aprenda que o gosto da crueldade é terrível, amargo. Imagine o que a sua mãe sente quando você diz que preferia estar morta, que preferia não viver, que odeia a sua vida. As palavras têm força, querida Ana, tome muito cuidado com elas. E pense sempre que você não quer magoar a pessoa mais importante da sua vida. Também seja mais compreensível com o Bruno. Ele não tem culpa do que está acontecendo – é só uma criança, no olho do furacão. Eu sei que ele é insuportável às vezes, que ninguém acredita no quanto ele é mimado, mas elas vão enxergar isso eventualmente, e aí você vai poder dizer que já sabia. Mas não diga isso, você realmente não ganha nada. Daqui alguns anos, quando ele tiver a sua idade, você vai ser a prima cool que busca ele nos lugares, que conversa sobre tudo, de cultura pop até coisas aleatórias sobre a vida, e ele vai ser um dos seus melhores amigos. Eu sei, eu sei, é difícil imaginar que isso vai acontecer algum dia, mas vai. Os arranca-rabos, no entanto, continuam os mesmos, a diferença é que agora ninguém se importa com quem vai sair apanhando (não se preocupe, você é boa de briga, ele continua apanhando mais). E, principalmente, ame sua tia. Eu sei que você sente raiva, muita raiva agora, mas ela não tem culpa de nada do que está acontecendo, ninguém tem. Pegue toda essa raiva e transforme em amor (não revire os olhos), isso é o que ela mais precisa no momento. Lembre-se que ela é uma das pessoas que mais te amam no mundo inteiro, então tenha paciência e a ame de volta.

Lembre-se também de pedir ajuda quando precisar. Não finja que não precisa: você SABE que PRECISA, e tudo bem. Não existe nada de errado nisso, você não vai ser menos corajosa só porque admitiu que precisa se apoiar em alguém, não é vergonhoso, muito pelo contrário. É difícil pra cacete, aliás. Eu, por exemplo, estou te dizendo tudo isso mas ainda tenho uma dificuldade enorme de admitir quando preciso de um ombro pra chorar, quando preciso ter alguém para conversar. É aquela história: ah, não quero incomodar, que é isso, tá tudo certo. Sabe como? É, eu sei que você sabe. Por favor, seja melhor que eu. Suas amigas realmente não vão querer ouvir você falar sobre os seus problemas, não agora. Mas entenda que elas não fazem isso por mal – você também não gosta muito de falar sobre isso, a diferença é que você precisa e elas realmente não podem ter a dimensão do que você vive, não aos 13 anos. É pra isso que serve a ajuda – e por ajuda, entenda qualquer coisa, um terapeuta, uma prima mais velha, um padre, sei lá. Mas peça ajuda. Li, num dos livros da nossa vida (você ainda não sabe qual é, mas vai descobrir quando for a hora) que a melhor maneira de encontrar a luz nas trevas não é afastando as pessoas, mas caindo nos braços dela, e é verdade. Não demore tanto para descobrir isso. Peça ajuda e não tenha medo de ser vulnerável.

Mais uma coisa: escrever ajuda muito. Talvez você não perceba o quanto agora, mas todos os desabafos na parede do seu quarto não foram escritos por acaso. Você é uma pessoa que escreve, e é na escrita que você consegue colocar os pensamentos em ordem. Então continue escrevendo – na parede, num caderno, no computador, tanto faz. Continue escrevendo suas fanfics, comece um blog e não pare de ler nunca. Leia, leia, leia. E acredite no seu trabalho. Ninguém vai te levar a sério no início, mas hoje já descobri que é possível transformar isso em algo de verdade, concreto. E também não pare de desenhar, sério mesmo. Hoje eu só faço boneco palito e é péssimo, não faço a menor ideia de como isso aconteceu.

O que mais, o que mais, o que mais? Ah, sim. Valorize as pessoas que estão do seu lado. Confie na sua mãe. Não perca a chance de passar o máximo de tempo com seu avô. Acredite em você e no seu potencial. Diga mais “sim” do que “não”. E principalmente, seja feliz.

A vida não vai ser sempre gentil com você, algumas coisas dão errado no meio do caminho, mas acredite que fica tudo bem no final. Eu poderia te pedir desculpas por todos os sonhos – seus, nossos – que não realizei, por ter jogado muitas das suas expectativas no buraco, mas por mais que eu sinta muito de vez em quando, não me sinto realmente culpada por ter feito as escolhas que fiz e por ter chegado no lugar onde cheguei. Aos 23 anos eu ainda moro com a minha mãe, não tenho um emprego, não estou formada e nunca viajei para o exterior. Mas a vida é boa assim mesmo, você vai ver, e acho que, no final das contas, você também vai aprender a se orgulhar disso tudo. Hoje, no seu dia, quero te desejar tudo de mais lindo, do fundo do meu coração. Que você tenha um dia incrível, que esteja ao lado das pessoas que você ama e aproveite cada segundo dessa data tão especial. Aqui do outro lado, estou te esperando com um sorriso no rosto, o cabelo enorme, dois cachorrinhos no colo (dois!), alguns quilos a mais e muito, muito feliz. As coisas dão certo, pequena Ana. Aproveite, viva (sobreviver não é o suficiente), brinque, erre, dance, se divirta, ria, e nunca deixe de sonhar. Eu te amo de verdade. Obrigada por tudo que você me ensinou. Espero que a gente ainda possa aprender muitas coisas por aí.

Com amor,
Ana.

Previous Post Next Post

7 Comments

  • Reply Thay 19 de março de 2016 at 2:54 PM

    Minha nossa, Ana, me identifiquei com tanta coisa que fiquei até emocionada! Não somos a mesma pessoa (óbvio, do’oh, haha) mas por um segundo senti que você escreveu muito disso pra mim também. Tenho que parar de viver no futuro e dar mais valor aquilo que tenho agora. A vida não está do jeito que imaginei que estaria mas não posso dizer de jeito nenhum que está ruim. Estou caminhando um pouco mais devagar do que gostaria (ou penso que gostaria), mas não faz mal também! Estou indo em direção aquilo que quero e, mesmo com as pedras no caminho, mesmo que demore mais do que o esperado, vou chegar lá. E digo que você também. Expectativas são uma porcaria, essa que é a verdade, haha. Se vivêssemos do jeitinho que imaginamos qual seria a graça? Não teria nenhuma surpresa, viagens sozinha, amigas virtuais! E tudo isso é tão especial e incrível que é bom não ter sido esperado, fica mais gostoso assim. Te desejei felicidades no FB ontem, mas aproveito para desejar de novo aqui porque boas vibrações nunca são o suficiente: Ana, que teu novo ano de vida venha repleto de coisas incríveis, momentos inesquecíveis e muito amor. Você é uma linda, uma crocante, e quero muito, muito, MUITO que seja feliz. Sou grata por te conhecer e poder compartilhar um pouquinho da sua vida e dos seus sonhos. <33

  • Reply Analu 20 de março de 2016 at 8:09 PM

    Amiga, to com esse post aberto no meu navegador DESDE O DIA QUE VOCÊ POSTOU e só agora tomei vergonha na cara. E, amiga, que texto mais lindo. Eu sempre me emociono com essas cartas para o passado, e sempre imagino que, de alguma forma, a mensagem chegou lá, sabe? #mística.
    Tenho certeza que a little Sharon te ouviu e saiu pisando fundo, mas internalizou tudo, porque de uma forma ou de outra ela chegou onde você está – e é um bom lugar, né não?
    Te amo muito! Feliz aniversário, mais uma vez, para vocês duas! <3

  • Reply Yuu 21 de março de 2016 at 1:55 AM

    Ana, terminei de ler sua carta na sexta-feira já pensando no que escreveria para você no comentário, mas sem achar palavras que fizessem jus a essa declaração tão linda que você fez para a versão mais nova de si mesma. Se eu pudesse, eu só te daria um abraço bem apertado com muitos mississipis de duração, porque nós temos a mesma idade, eu vivi situações conflitantes parecidas quando tinha 13 anos, e tenho as mesmas inseguranças aos 22. Eu poderia muito bem falar para a Yuu de 13 anos perder o fear of missing out, brigar menos com a mãe, cuidar melhor de si mesma incluindo a aparência (acne, por quê?), e colocar na cabeça que aos 13 é muito cedo para pensar que a vida está perdida por não podermos consertar as coisas que não dependem de nós. Isso teria trazido bem menos efeitos colaterais para a Yuu de agora, mas passado é passado e não temos muito o que a fazer além de tentar mudar nossa mentalidade agora. Não é tarde demais. Eu não cheguei onde gostaria de ter chegado hoje, e vejo que muitas pessoas também não. Não poderíamos imaginar que as expectativas que criamos anos atrás não seriam realistas com as oportunidades que temos hoje, mas não é por isso que as experiências que estamos vivendo são menos valiosas. Eu vejo gente que só conseguiu ir para a Disney aos 30 ou 40 e refletiu nas fotos um sorriso tão genuíno que me faz perceber o quanto é irrelevante determinar uma idade para fazer determinadas coisas, por exemplo.

    Enfim, espero que você tenha curtido seu dia e celebrado seus 23 anos. A vida não é perfeita, mas ela é muito boa – e foi você que me lembrou disso em um dos seus textos ano passado. E veja só: esse ano você conseguiu mudar sua habilitação esse ano, você tem amigas maravilhosas, e o dom de escrever textos que tocam a gente. Não é tudo, mas é muita coisa. Fico muito feliz em ter te conhecido e tô sempre te desejando tudo de melhor. Sei que estou te devendo a minha receita de brownie, mas estou pensando numa maneira especial de mandá-la para você. <3

    Beijinhos. <3

  • Reply Manu 22 de março de 2016 at 3:02 AM

    Miga!!!!11!1!11!!!1
    Não sei nem o que dizer, só sentir mesmo. Eu gosto muito de ler esse tipo de post direcionado pra gente do passado. É sempre uma mistura de nostalgia gostosa com essa vontade de revisitar as coisas que poderiam ter dado certo… mas acho que as coisas mais lindas de se saber (aos 13, aos 23, aos 103) são essas que você escreveu, que a gente está sim num lugar maravilhoso e cheio de conquistas, mesmo que elas não sejam metade daquilo que planejamos há dez anos. A vida é cheia de reviravoltas e a gente muda um monte, mas mesmo esses caminhos que a gente não esperava tomar acabam lapidando a gente de alguma forma, fazendo a gente reavaliar as prioridades e seguir em frente, por que não é isso que é a vida? Seguir em frente apesar das coisas que dão certo e das que não dão? Espero que a Ana de 33 tenha coisas ainda mais legais pra falar pra Ana de 23 :)
    Te dei parabéns pelo twitter, mas acho que sempre é hora de desejar FELIZ ANIVERSÁRIO!!!!!!!!! com direito a balões e bolos e abraços imaginários, porque ~a vida está sempre se renovando~ e não é sempre que tenho desculpas pra desejar tudo de melhor pras pessoas de quem eu gosto. Então tá aqui meus desejos pra você de que coisas lindas aconteçam e que você continue ~feeling 22~ mesmo assoprando mais velinhas a cada ano (mas sem se sentir confused and lonely com tanta frequência çocorrrr)
    :*** <3

  • Reply Anne 23 de março de 2016 at 1:19 AM

    Nossa, sem palavras diante desse texto magnífico. Impossível não me emocionar no último parágrafo!
    Ao contrário de você, eu não acho que minha vida era melhor aos 13 anos. Eu inclusive brinco dizendo que Deus me livre da minha adolescência! Mas acho que a vida nem sempre é fácil, mas pode sempre ser boa.
    Beijo

  • Reply Cacau 23 de março de 2016 at 12:06 PM

    Oi, amoreco da minha vida. Eu demoro mas eu apareço, sabe como é.
    Não sei que mágica tu faz, mas tá pra ter blog que me dá mais nó na garganta que o teu.
    Acho que tu não escreve com a mente ou os dedos, acho que teu coração cria mãozinhas e digita tudo o que tem pra digitar. É uma coisa muito louca que eu não sei como você faz.
    Gostei muito dessa ideia de escrever pra um eu-do-passado, e achei que você foi super gentil e real com a tua eu-do-passado.
    Todos os dias fico feliz por ter encontrado essas gurias da Máfia, e hoje fazer parte das gurias da Máfia, e se tudo der certo, logo logo abraçarei todas.
    Já desejei feliz niver no dia do teu niver, mas não custa reforçar. Você é linda, rainha, e merece tudo de melhor que há no mundo.

    Beijos no coração. <3

  • Reply BA MORETTI 23 de março de 2016 at 5:08 PM

    em tantos momentos senti que eu mesma tinha escrito essa carta pra eu ler agorinha. não aguentei segurar o choro não ♥ caramba, obrigada! e se a dica ainda for válida, toque bateria. é maravilhoso ♥

  • Leave a Reply